Resenha: Os Bridgertons I - O Duque e Eu (★★★★)

Olá leitores, tudo bem com vocês?? Hoje tem resenha o/

Preciso dizer que eu FINALMENTE li um livro da Julia Quinn


Título: Os Bridgertons I - O Duque e Eu
Autor(a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Classificação: ()


Já de cara encontramos a Árvore Genealógica da família. Vou dizer que eu achei super útil pois assim podemos ter um controle maior sobre os próximos livros da série. E reparem nos nomes dos filhos: o nome de cada um é iniciado em ordem alfabética - achei genial.



Daphne é uma dos oito irmãos que compõe a família Bridgerton. Ela está na fase de encontrar o seu pretendente mas não está fácil! (não só pra você, amiga) Mesmo frequentando diversos bailes da alta sociedade todos os homens que pediram sua mão não são bons pretendentes. E quais poderiam vir a ser um bom partido, não a veem com estes olhos e apenas consideram-na como uma amiga. Afinal, criada em meio à tantos irmão ela adquiriu alguns hábitos mais leves e divertidos, coisas não características de uma "dama ideal" para a época. Resumindo: ficava na friendzone mesmo.


Também conhecemos a história do duque de Hastings, um menino que fora muito rejeitado pelo pai em sua infância e sempre teve certa dificuldade pra lidar com o seu passado. Devido à isso, acabou vivendo em função de desapontar o pai. Tornou-se um verdadeiro libertino. Promete a si mesmo nunca se casar e constituir uma família. Quando ele conquista um espaço na sociedade, seu pai começa a aceitá-lo, como se nada nunca tivesse acontecido, e, então, por este motivo ele resolve viajar pelo mundo. O duque só volta após a morte do pai, quando precisa assumir o cargo, temendo ser comparado ao homem que tanto consegue controlar sua vida mesmo dentro de um caixão.



O duque era amigo de faculdade de Anthony, o primeiro Bridgerton. E como a primeira regra masculina é: irmãs de amigos são "proibidas", já sentimos cheiro de problema. Mas isso não impede de Hastings cruzar com Daph antes de conhecer o seu sobrenome e em uma situação um tanto quanto inusitada. Após um tempo o duque começa a fingir cortejar a protagonista. Assim, os dois sairiam ganhando: Daph teria mais atenção dos homens, o que de fato acontece (em um mesmo dia 6 pretendentes vão à sua casa corteja-la) e o duque não teria que aguentar as mães querendo arranjar pretendentes para suas filhas.


Até Anthony acaba concordando com o acordo após ver resultado, mas coloca alguns limites. Como já sabemos, o script não é seguido pelo coração e é inevitável o desenvolvimento de alguns sentimentos.

De um lado: uma mulher de família, inocente, com muitos princípios e que deseja ter uma vasta família e se casar por amor. Do outro: um duque preso ao seu passado e em promessas concretas de nunca gerar um filho e nunca se casar, sem saber verdadeiro significado de família. 



O livro é narrado em terceira pessoa, mas mesmo assim conseguimos perceber muito bem todos os lados da história. Já no começo da leitura eu me 'auto-avisei' que os costumes seriam bem diferentes e que a posição da mulher seria outra - por ser um romance de época. Porém, é inevitável não ter alguns ataques no meio da leitura devido ao patriarcalismo excessivo. Confesso que até 2/3 do livro eu não estava achando lá essas coisas, mas admito que o final, apesar de rápido, foi muito bem construído, o que trouxe pontos positivos para a minha análise. 

Cada capítulo é iniciado por uma coluna de fofocas da alta-sociedade: a escritora é uma tal de Lady Whistledown que ninguém conhece, mas todos acompanham. (super Gossip Girl, né?!)



É um livro leve, gostoso e que te prende. Recomento para as românticas de plantão e para as(os) fãs de romance de época! Apesar de não ter sido um 5 estrelas pra mim, eu gostei bastante e pretendo sim continuar a série e saber mais sobre os outros irmãos :) 

Já leram? Qual o seu preferido da série??
Espero que tenham gostado ♥

XOXO
Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Snap: Nati_chanoski

Nenhum comentário:

Postar um comentário