Resenha: Muito Amor por favor (★★★★★)



Olá pessoal! Perdoem o sumiço, mas não desistam de mim ♥
Agora vou voltar em definitivo e com posts diferentes. Estou cheia de ideias :) um dos vestibas já passou, agora é só ENEM, então está um pouquinho mais tranquilo... Maaaaas, vamos à resenha!

Eu estava LOUCA pra ler esse livro, quem me conhece sabe que sou apaixonada por crônicas, principalmente essas que tem um "quê" mais de romance.

As coisas que mais me chamaram atenção no livro foram as nítidas peculiaridades de cada uma das quatro escritas. Vou desenvolver mais, depois, falando de cada um, mas, antes, falarei do livro como um todo.


Título: Muito Amor por favor
Autores: Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho, Matheus Rocha
Editora: Sextante
Páginas: 239

Classificação: ()


A ideia de cada um escrever sobre o amor representando um elemento foi sensacional. Alguns me surpreenderam por costurarem tão bem a proposta. Esse é o tipo de livro que te dá vontade de sair escrevendo. E acho que é essa a leveza da crônica e o diferencial do livro, parece ser algo acessível e palpável no nosso próprio dia-a-dia.

As diversas facetas do amor são abordadas, desde as paixões à primeira vista, passando pelo amor mais imediato e "adolescente", até a sensatez da maturidade. Sem, é claro, se esquecer de toda a superação de um romance que já teve um ponto final.


Eu encontrei várias referências durante a leitura. Falaram da minha cidade ♥ Curitiba, citaram o dia do meu nascimento SIMM 21/02 e utilizaram a expressão "rio na cara do perigo" que é uma famosíssima frase do desenho o meu preferido Rei Leão. Não sei se a última foi com esta intenção, mas é inegável que seria uma coincidência e tanto!


Agora vou falar um pouquinho sobre a escrita de cada autor - de acordo com a ordem que aparece no livro - e colocar algumas frases que eu separei durante a leitura.

Ique Carvalho:


Foi a primeira vez que eu me deparei com essa escrita. Ele ficou responsável pra tratar o amor como fogo. O amor um tanto mais imediato, que pode te encher rapidamente, mas que também esfria e pode virar brasa. A sua peculiaridade foi que ele escreve praticamente em linhas: uma oração, um ponto e "enter". E usa várias rimas também.

Não quero você por uma noite, nem por um fim de semana.
Quero um amor a longo prazo.
Que não tenha dia contado.
Que envelhece ao lado.

A influência das amizades e da televisão fazem você acreditar que a felicidade ou satisfação está naquilo que você não tem, ou não fez, ou não conhece ainda. Mas, na verdade, a felicidade está justamente em apreciar a beleza e a simplicidade do que temos à mão e dentro do coração.

Se você gosta muito de alguém, diga logo o que sente para o outro sentir também.
(...)
E lembre-se: Se alguém disser que gosta de você, por favor, não surte.
Sabe o que essa pessoa acabou de fazer?
Ela pulou, esperando que pudesse voar.


Matheus Rocha: 


Também foi o meu primeiro contato com a escrita dele. Estava bem ansiosa pra conhecer justamente por acompanhá-lo em algumas redes e perceber que ele tem um carinho muito grande com os seus leitores! Está sempre curtindo e comentando as fotinhos que postam dos livros dele. Gostei bastante. Ele ficou com o amor representado pela terra. Mais firme e enraizado, só que, claro, não está livre de alguns abalos sísmicos.
E a sua peculiaridade foi a repetição. Longe de ser algo ruim. Ele inicia com uma ideia e volte e meia retoma a mesma ideia, inclusive com as mesmas palavras, durante a crônica ou até mesmo perto da conclusão.

Confesso que sempre esperei demais. Sempre idealizei muito todos os meus relacionamentos. Sabe aquilo de sonhar com contos de fadas, de esperar que todo mundo viesse pra ficar, de achar que todos os dias fossem feito sonhos, que todas as manhãs parecessem doces e todas as noites em que me deitasse para dormir me sentisse com o coração cheio, quente e em paz? Então... O amor me mostrou que, na prática, quase nada disso aconteceu. A realidade é sempre mais frustrante do que o aconchego da imaginação.

Quando você ama alguém de verdade, cuidar vem no pacote. Proteger também.

Não desista de tentar de novo quando o seu coração pedir.


Arthur Aguiar:


Digo a mesma coisa, foi o meu primeiro contado com a escrita do Arthur e ele é quem fez o "Diego" no RBR - Rebelde Brasil. Eu não tinha nem ideia que ele escrevia e acabei me surpreendendo bastante. Li sem nenhuma expectativa justamente por eu nunca ter gostado muito de RBR rs. A peculiaridade do Arthur foi que ele tem uma pegada mais conto. Fala mais de situações concretas e com alguma sequência. O amor como água foi abordado por ele. Aquele que pode vir em garoa ou em temporal, que acalma ou que pode até machucar. 

É engraçado como nossa referência muda quando conhecemos alguma coisa melhor.

Quando digo que o que eu mais quero é encontrar uma pessoa especial para eu poder amar, amar de verdade, as pessoas dizem que sou louco, carente, ultrapassado e careta. Já eu prefiro acreditar que sou corajoso, pois hoje em dia amar é um ato de coragem.
Quero comemorar anos, e não meses. Acumular horas, e não minutos. Colecionar momentos inesperados, e não planejados. Quero gestos sinceros, e não palavras vazias. Quero amor, e não só paixão. Quero um, e não alguns.

Não podemos querer que o tempo da outra pessoa seja o mesmo que o nosso. Podemos apenas torcer pra que isso aconteça. 


Fraderico Elboni:


O Fred eu já conhecia! Olha até a intimidade. Ele tratou do amor como ar. Aquele que pode ser brisa ou vendaval, que é leve, mas também é essencial. A sua peculiaridade é a escrita. Me parece ser uma escrita mais madura, mais formada. Com mais figuras de linguagem, e até, talvez, mais sintética.

Que eu saiba sentir todos os sentimentos do cardápio, mas que, por favor, seja recíproco; seja no pedido de adeus ou no de casamento.

Quando não temos ninguém para abraçar, qualquer abraço vira convite de moradia. 

Hoje, sabendo que o fim da tarde é o fim mais bonito da vida, sei que no amor busco um lirismo, quem sabem, inexistente. 


Bom, a resenha já está enorme. Mas, sério, leiam! Eu ainda poderia ficar falando o quanto esse livro é maravilhoso, mas acho que já foi o suficiente falar um pouquinho de cada um. E livros assim nos fazem terminar achando que somos melhores amigos(as) dos autores. Parece que durante o período em que passamos na companhia do livro, estávamos em um café ouvindo as histórias de cada um deles e relembrando das nossas.

Espero que tenham gostado!
XOXO

Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Instagram do blog ♥ Snap: Nati_chanoski


PS: não deixe de participar do sorteio que está acontecendo no IG do blog no instagram, é só achar essa foto colorida no feed



Um comentário:

  1. Foi a primeira resenha que li desse livro e adorei! Esse livro parece puro amorzinho mesmo. E você é de Curitiba? Ah, eu amo esse lugar! <3

    Beijos. | * Blog PS Amo Leitura *

    ResponderExcluir