Unboxing fevereiro e março 2017

Oioi pessoal, tudo bem??

Quem me acompanha no instagram ou/e no youtube já viu que saiu vídeo novo! Dessa vez foi um unboxing com livros MARAVILHOSOS ♥♥

Não deixe de conferir :)

Ah, e não esqueça de se inscrever no canal pra ficar por dentro de tudo!


Espero que tenham gostado!
XOXO

 Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Snap: Nati_chanoski

Pré-venda: Porcelana

É só amanhã! Só amanhã mesmo nos sites você encontra o primeiro dia da pré-venda de Porcelana


  • A pré-venda do livro começa nesta sexta-feira (31/03) as 20h
  • Terá brinde para os três primeiros compradores – um colar lindo de lua vermelha!! 
  • Valor: 29.99
Sinopse:


Nos corações dos habitantes de Centralia, vivem superstições que só poderiam existir em seus mais profundos pesadelos, ou na sombria floresta que cerca toda a cidade, um fato em que todos temem acreditar. Com a proximidade do Rubrum Luna, a cidade fica agitada com seus novos visitantes, que além de turistas, podem acabar fazendo parte do banquete principal. Com planos de assumir seu tão desejado lugar junto a corte dos vampiros, Violet Demons se depara com seu tenebroso passado, fazendo com que suas habilidades mais sombrias e poderosas venham tomar parte de sua personalidade. 
Morte e luxúria não são suficientes para descrever os desejos de Violet.

OBS: Lembrando que o livro é +18


Espero que tenham gostado, essa sinopse está incrível!
XOXO


 Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Snap: Nati_chanoski

Resenha: As Cordas Mágicas (★★★★★)


Olá pessoal, tudo bem??

A resenha de hoje é sobre um livro incrível da Arqueiro ♥ com  certeza um dos melhores lidos.

Está com pouco tempo? Acompanhe o post através do áudio, mesmo em segundo plano.





Título: As Cordas Mágicas
Autor: Mitch Albom
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Classificação: (★★★)


Logo de cara percebemos que estamos presenciando um velório. Um velório de um músico famoso: Frankie Presto. Frankie foi um homem que alcançou a fama rápido, fez grandes parcerias e viveu nos extremos. O que muitos não sabem é o seu passado: um menino órfão, abandonado e que viveu diversas mentiras ao longo da vida.



Ele foi resgatado na beira de um rio por Baffa Rubio - após ter sido abandonado por uma freira que ajudou sua mãe a parir antes de morrer. Passou a sua infância com esse homem que o tratava como filho. Ainda criança, começou a ter aulas com o músico cego e já velho El Maestro. A Guerra Civil estava acontecendo, Baffa acaba sumindo e Frankie pede ajuda pra o seu professor.



Depois de diversas dificuldades o garoto acaba sendo mandado para outra cidade em busca de ajuda e de um futuro mais promissor. Ele embarca no desconhecido apenas com seu violão novo com algumas cordas mágicas: cordas que mudam de cor quando alteram significativamente a vida de alguém.

Não é por essa razão que, com frequência, vocês buscam a música? Pra sentir que não estão sozinhos?



É um livro emocionante, cheio de reviravoltas, dificuldades e com grande carga emocional do personagem. Percebemos o quanto a música sempre está presente na sua vida e como ela muda de acordo com o momento.

A verdade é luz. Mentiras são sombras. A música é ambas

Foi a primeira vez que tive contato com a escrita do autor. Devo dizer que me apaixonei! Ele apresentou tudo de forma criativa, cativante e fluída.



O livro é narrado majoritariamente pela música (sim, você leu certo). Durante o velório nós observamos diversas "entrevistas" - cada entrevistado conta um pouco sobre como conheceu o astro e como ele era. Assim vamos conhecendo sua história e o desenrolar dela. As mudanças de ponto de vista deram um toque excepcional onde podemos ver as facetas de Frankie a partir de seus conhecidos.

Eu tenho o poder de fazer você recordar-se das coisas. Absorvo suas memórias; quando me ouve, você revive as lembranças. Uma primeira dança. Um casamento. A canção que tocava quando você recebeu uma grande notícia. Nenhum outro talento proporciona uma trilha sonora para a sua vida. Sou a Música. Marco o tempo.

Outro ponto curioso é o romance que envolve a história. Aurora, uma menina que cruzou seu caminho na infância, é um fio condutor do enredo inteiro. Chega a ser absurdo - de uma forma positiva - a maneira como eles se encontram e têm a certeza do sentimento.



De vez em quando, nós, os talentos, podemos surgir de repente dentro de vocês para criar o inexplicável

A história vez ou outra parece meio doida, mas todos os fios são muito bem costurados no final e não fica nada solto. É um livro lindo e emocionante que todos deveriam ler. Tem a própria playlist do livro e se pesquisarmos no youtube tem um conteúdo muito grande de composição da obra. Algumas entrevistas gravadas e algumas músicas que foram criadas para o próprio livro.



Espero que tenham gostado!
XOXO

Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Snap: Nati_chanoski

Resenha: Meu Jeito certo de Fazer tudo errado (★★★★★)

Oioi pessoal, tudo bem??

Hoje tem resenha de um livro muito lindinho e mais infantojuvenil. Bem no estilo de um livro da Thalita que foi resenhado ano passado.

Para acompanhar o post por áudio, é só clicar no player abaixo :) Vamos lá?!




Título: Meu Jeito certo de Fazer tudo errado
Autoras: Klara Castanho e Luiza Trigo
Editora: Arqueiro
Páginas: 377
Classificação: (★★)


O livro conta a história de Giovanna, uma menina que morava em Campinas, interior de SP, e sempre se sentiu deslocada. Gostava de rock, tinha seu próprio estilo e seus únicos amigos eram seus primos. Até que a empresa de modelos de seus pais começa a crescer e eles acabam se mudando pra capital.



Nanna, como ela gosta de ser chamada, se sentiu meio traída pois não levaram muito em conta a sua opinião. Mas a garota acaba sendo "comprada" por seu quarto novo, um cachorrinho de estimação e uma possibilidade de mudança. Logo na primeira vez que ela vai à escola para comprar o uniforme, percebe que existem, sim, pessoas do seu estilo e já não se sente mais tão deslocada - ela se depara com um garoto com piercings e que aparenta curtir as mesmas coisas que ela.



Quando percebe, ela já deixou a birra por ter saído de Campinas de lado e já está animada com o primeiro dia de aula. Assim que chega na escola, descobre que o garoto que tinha visto na primeira vez estudava em sua sala e se chamava Miguel. De início, Nanna faz amizade com Giselle, uma menina calma, que vive lendo e logo fala que o Miguel é encrenca.

Era só o cara me dar o mínimo de atenção que eu já estava toda encantada. Somando a isso, ele tinha um estilo que me atraía: as calças rasgadas, os cintos de tachas, os gorros iguais aos meus e, principalmente, os piercings.

Alguns dias se passam e a Manu chega de viagem. A famosa "garota popular" do ensino médio que tem que estar presente. Ela fala com a Nanna e acaba apresentando ela para o seu grupo de amigos - pessoas que já tinham tratado a novata com desdém, mas como a Manu gostou, mudam.



Giselle não gosta nada da aproximação da Manu, ela já fala pra Nanna que não vai ser amiga dela se ela se relacionar com o grupinho dos populares por já ter tido um problema antigo com a líder. Nossa protagonista, indecisa, acaba optando pela amizade do grupo. Por sempre ter tido dificuldade pra fazer amigos, estar em um grupo com 5 deles parece ser irresistível, além de que um deles é o Miguel.



O livro aborda muitos pontos interessantes de serem citados e observados na adolescência. Assim que Nanna escolhe entrar no grupo, ela começa a fazer algumas mudanças pra se sentir mais aceita. E isso envolve uma mudança no visual, algumas mentiras, bebidas e até cigarro. A forma como as coisas se desenvolveram foi muito natural. Percebemos o sentimento de exclusão, a pressão e ela cedendo.

Mudar é bom, mas assusta.

Outro personagem importante que entra é o Henrique. Vizinho da Nanna que costuma passear com seu cachorro na mesma hora que ela passeia com o dela. Desses encontros surge uma amizade muito sincera. É ele que escuta os dilemas da garota e que fala algumas verdades.



Nanna agora tem que lidar com algumas encrencas que ela acaba entrando pra se sentir mais parte do grupo, com a namorada ciumenta do Henrique e com alguns sinais de interesse que o Miguel dá.

Apesar do enredo ser leve e até meio bobinho, o livro mostra muito bem a relação dos filhos com os pais: quando é preciso segurar as rédeas e o momento certo de soltá-las. Observamos que o comportamento sem limites e meio manipulador da Manu vem de casa. Filha de pais ricos, ausentes e que só se preocupam em se divertir. Percebemos o amadurecimento da protagonista e acompanhamos vários dilemas do tipo "ficar em casa e respeitar meus pais ou sair escondida?", "Henrique ou Miguel?", "Giselle ou Manu?".



O livro é narrado em primeira pessoa e a arte está linda! Cada capítulo mostra uma roupa ou algo relacionado ao que vai acontecer. Muito legal a ideia, pois assim temos uma visualização mais palpável da situação.

O desfecho foi muito bem construído, acredito que não poderia ter sido melhor. É um livro lindo de ser lido com grandes lições de moral. Indispensável pra garotas entre os seus 10-14 anos.

O mais importante foi aprender que nada vale a pena se não podemos ser nós mesmos. Não adianta tentarmos agradar aos outros e sermos infelizes por não nos agradarmos. Amizade verdadeira é quando gostamos do outro do jeito que ele é, apesar das suas falhas e defeitos, apesar de não ter os gostos parecidos com os nossos, apenas pelo simples fato de gostar da companhia do outro.

Espero que tenham gostado!
XOXO

Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Snap: Nati_chanoski

A Morte da Literatura

Meu professor decretou a morte da literatura. Em 500 anos ela acaba. Mas, claro, ele também mostrou o outro lado da moeda: seu amigo, mais otimista, dá 5.000 anos.

Independente do tempo, a vida sem a literatura com certeza não será a mesma. Na pintura, a gente aprecia uma imagem e reflete um sentimento por ela. No cinema, acompanhamos uma história, nos emocionamos, mas sem tanta profundidade. Na música, sentimos, sentimos muito - até carregamos alguma história vez ou outra - e é basicamente isso. Mas na literatura a gente acompanha bem de perto. A gente presta atenção em cada passo, em cada ação. A gente pode temer, chorar, rir e desvendar. E tudo com uma riqueza de detalhes.

Cada arte tem sim a sua peculiaridade. E eu realmente amo cada uma delas. Mas a morte da literatura foi muito pesada pra mim. É como dizer que eu não vou mais viajar pra Los Angeles com a Fani, que eu não vou mais ter a certeza daquele final feliz com a Julia Quinn ou com a Nora Roberts, que eu não vou mais perceber as contradições tão claras e sutis do amor em Camões e nem me projetar nos monólogos intimistas da Clarisse Lispector.

Nada nesse mundo se compara à sensação de virar uma folha de papel físico. De folhear e cheirar as páginas. De chegar no meio de um livro. De passar do meio, e de ter uma relação de felicidade e tristeza por ter acabado de viver mais uma obra e história.


Gostaram?
XOXO

Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Instagram do blog ♥ Snap: Nati_chanoski

Resenha: Ninféias Negras (★★★★★)


Olá pessoal, tudo bem?? Hoje tem resenha de um livro que eu recebi da Arqueiro e ele me surpreendeu de forma super positiva! Vamos conhecer mais sobre a obra?!


Título: Ninféias Negras
Autor: Michel Bussi
Editora: Arqueiro
Páginas: 346
Classificação: (★★★)


É extremamente difícil falar sobre esse livro sem soltar nenhum spoiler. O acontecimento principal foi o assassinato de um cirurgião oftalmologista famoso da cidade, Jérôme Morval. É como se ele tivesse sido morto três vezes: afogado, com uma arma branca no coração e com um objeto se esmagou o crânio.



Para investigar esse caso, o policial Laurenç Sérénac e o seu ajudante Sylvio Bénavides ganham destaque. Desde o principio eles estabelecem 3 possíveis causas: algum marido ciumento de algumas das amantes do falecido (eles receberam anonimamente fotos de Morval se encontrando com diversas moças), alguma relação com uma criança de 11 anos (eles encontraram um postal que continha "Onze anos. Feliz aniversário - O crime de sonhar eu consinto que seja instaurado") ou algo relacionado a tráficos de arte - Morval era um apreciador nato de Monet.

Um apreciador de arte que não vai deixar nada para a posteridade. Um apreciador de mulheres que, sem dúvida, nenhuma delas vai prantear. Exceto a sua, aquela que ele negligenciava.



Durante a leitura também somos apresentadas a Fanette, uma garota talentosa na pintura, e aos seus amigos. Outros dois personagens curiosos são Netuno, um cachorro que sempre está presente nos momentos mais específicos e importantes da trama e uma mulher mais velha que passa despercebida pela cidade, a velha que sabe de tudo. Além, é claro, da professora Stéphanie Dupain que além de ser uma possível amante de Morval, é também quem vai mexer com o coração do investigador, Laurenç.



O livro se passa no vilarejo de Giverny. A descrição é extremamente detalhada (preciso muito visitar esse lugar um dia), e justo por já ter abrigado grandes e renomados pintores e artistas, toda a história tem um embasamento de pintura. Dando destaque pra Monet e suas Ninféias. Admito que nunca fui muito fã do impressionismo, mas, durante a leitura, é impossível não despertar alguma curiosidade. Já pesquisei até um pouco mais sobre o assunto.



Outro ponto extremamente bacana é a fidelidade com que o autor narra a vida dos pintores. Já na abertura do livro ele escreve "Nas páginas a seguir, as descrições de Giverny tentam manter a maior precisão possível (...) As informações sobre Claude Monet são autênticas (...) O mesmo vale para (...) Theodore Robinsin e Eugène Murer", então é claramente uma "aula" de arte.

(o livro é dividido em dois quadros: Impressões - conta toda a história; Exposição - as últimas 37 páginas que explicam o desfecho)



No fundo, as pessoas admiram os loucos.

Admito que esse não é o meu gênero preferido, mas fiquei completamente apaixonada por toda a história. Na maioria das vezes, acabamos descobrindo uma coisa ou outra do desfecho. Porém, com esse livro, é totalmente diferente. É um verdadeiro tiro que você leva quando descobre toda a trama e, ainda, sem deixar nenhuma ponta solta.
Recomendo para todos os fãs de romance policial e para os demais. Tem uma pitada de romance, suspense e é simplesmente maravilhoso!

Gostaram?
XOXO

Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Instagram do blog ♥ Snap: Nati_chanoski

Reflexões dos 18




Com o passar do tempo a gente começa a entender que na maioria das vezes o céu está nublado e o sinal fechado. Que nem tudo é arco-íris - na maioria das vezes, vem em preto e branco mesmo. Mas a ideia é que, a cada dia, a gente consiga ver um pouco mais de beleza no cinza do dia a dia e no vermelho do semáforo. A ideia é prestar atenção nos detalhes e nas pequenas variações de um mesmo tom. É reparar, enquanto se espera, no cotidiano, no motorista do ônibus, na senhora que atravessa a rua e no pássaro que passa voando.



Começamos a entender que ir, às vezes é preciso e que muitas pessoas vão sem que a gente permita. Vez ou outra, até nos obrigamos a algumas despedidas. Mas não precisa se preocupar, a gente se acostuma com elas e aprende a procurar novos começos em cada fim. Transformamos pontos em reticencias e, vez ou outra, também insistimos em substituir um ponto final por uma vírgula. Começamos novos parágrafos, novos capítulos e até novas histórias. Arquivamos contos, refletimos crônicas e sentimos poesia!

A gente levanta, mesmo sem motivo, pelo simples fato de saber que é preciso. A gente cria novas cores e repinta o que for preciso. Inventamos sorrisos e criamos novas histórias.

No meio de todo o caos, na verdade, a gente só almeja um pouco de poesia com um toque de rima.

Tem gente que fala que a vida muda quando os 18 bate na porta, e outros que falam que tudo continua igual. Mas pra mim, todo dia muda; e eu sou grata por cada mudança. Independente das curvas, obstáculos, dores, ou dúvidas. Independentes das lágrimas, risadas, machucados ou cicatrizes. Afinal, cada caractere tem um espaço único no meu EU de hoje.


XOXO


Me acompanhe: Instagram ♥ Facebook ♥ Canal ♥ Instagram do blog ♥ Snap: Nati_chanoski